Um pouco sobre minha “mini férias”.

Olá Leitoras e Leitores!!!

 

Depois das minhas mini férias tenho tanta coisa pra compartilhar com vocês que nem sei bem por onde começar risos. Desde que me tornei mãe, há mais ou menos 8 anos, é a primeira vez que viajo sozinha sem ser a trabalho.

Sentimentos de medo e culpa costumam vir juntos com a maternidade, eu já falei algumas vezes sobre isso aqui e você pode conferir alguns textos: Mãe ideal x Mãe Real / Mulher Maravilha  / Dilema Materno 

Fato é que mais ou menos a um ano eu venho “trabalhando” para resgatar algumas coisas que abdiquei para exercer a maternidade como eu achava que devia ser. Coisas simples, mas que fazem a diferença na vida de uma mulher, tipo o salto alto, a maquiagem, as saídas com amigas, os passeios sozinhas, o cinema, aí vai depender do perfil de cada uma.

A verdade é que quando se tem uma casa, marido e filhos para cuidar e “sobra” algum tempo procuramos sempre executar tarefas para deixar tudo em ordem e com isso nosso lado mulher vai ficando cada vez mais de lado. Por muito tempo acreditei que eu tinha que dar conta de tudo, essa cobrança vinha sempre de mim mesma e demorei a entender que era impossível, mas quando finalmente entendi quis correr atrás.

Há alguns meses que meu esposo me sugeriu fazer um passeio sozinha, afinal não temos muito com quem contar para ficar com as crianças e assim podermos viajar juntos. Eu sempre muito resistente a deixá-los fui adiando essas “mini férias”. Adiava por medo de ir sozinha e acontecer algo com eles ou comigo, pelo sentimento de culpa de eu estar lá me divertindo e eles aqui, pela vontade de aproveitar cada minuto com eles eram tantas desculpas que eu dava a mim mesma que desistia de ir.

Até que um certo dia recebi um e-mail de promoção de passagens e resolvi embarcar nessa aventura, escolhi Belo Horizonte para que eu pudesse também visitar uma prima minha e sua família. A proposta do passeio era me divertir, sem compromissos de hora pra acordar, pra dormir, fazer o que eu estivesse com vontade, aquela viagem de amigas cheia de passeios de “meninas”. Organizei tudo aqui em casa, conversei com as crianças, fiz as malas e fui.

A viagem foi libertadora e com certeza marcou uma nova etapa na minha vida, acredito que finalmente cheguei no momento em que estou conseguindo equilibrar as minhas vontades, obrigações e tudo mais. Com esses dias eu aprendi que é possível sabe?! Não foi fácil, muito pelo contrário, chegar até aqui exigiu de mim e da minha família, mas tenho certeza que esse momento é benéfico para todos nós. A família se fortalece e permanece unida quando todos estão bem e felizes.

IMG-20160829-WA0004

Vale lembrar que na minha visão, a felicidade não é constante, ela é feita de momentos e o que eu quero é colecionar momentos felizes e esta viagem com certeza já entrou pra coleção.

O que eu quero com este post? Te dizer que se você tem um filho pequeno essa fase difícil vai passar. Se você já tem filhos maiores, quero te encorajar a fazer algo pra Você. Se você ainda não tem filhos, te dizer que você deve passar por isso também.

Aqui nesse post você encontra 10 dicas para você não se perder de você.

Em resumo, existe uma luz no fim do túnel, acho que o mais importante é você não se afastar da sua essência.

Beijos e até a próxima.

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

2 Comentários

  1. Naila Vidalete

    Amei!!! Apesar de não ter filhos ainda, sinto vontade de fazer o mesmo!!

    Responder
    1. Comadre (Publicações do Autor)

      Obrigada Naila!! Independente de filhos, é sempre bom ter um tempo só nosso né?! Beijoss

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *