Sessão Pipoca – De onde eu te vejo.

Olá Leitoras e Leitores!!!

 

Sessão pipoca fresquinha hoje, mas com cheiro de pipoca velha. Mas por que velha? Porque eu queria ter assistido esse filme na telona do cinema e na semana do lançamento e por isso  recomendei aqui no blog na sessão pipoca de abril. Mas, porém, contudo, todavia na minha cidade não houve exibição de “De onde eu te vejo” ficou para depois mesmo, pra assistir em casa.

Recentemente saiu em DVD e On Demand para aluguel optamos por assistir no pelo Google. O Aluguel de 6,90 R$ Sd ou 9,90 HD. Depois preciso escrever somente sobre o Chromecast e o serviço do Google Play Videos que usamos bastante aqui em casa.

De onde eu te vejo é um filme nacional que se passa na cidade de São Paulo, e o arco principal é a história de Ana e Fábio (Denise Fraga e Domingos Montagner), que decidem se separar depois de 20 anos de relacionamento e começar uma nova história.

Sempre propondo mudanças e novidades Ana é ligada na vibe do universo, no mapa astral e etc, o que parece incomodar Fábio durante todo o período que passaram juntos . Fábio é mais racional sempre esteve empregado no mesmo jornal e comendo pão de forma porque a Ana gostava. Essas e outras diferenças entre eles acabam distanciando os dois até o momento que começa o filme.

Após a separação, eles dispõem de dois apartamentos em prédios diferentes que têm vista de uma janela para outra e é cômico devido à maneira que eles lidam com isso. Mas o foco não é e nem era pra ser esse, mas é marcante devido ao nome do filme. O foco do filme é utilizar minucias para contar a história deles.

de onde eu te vejo

Ana, que era uma arquiteta, queria construir coisas belas em São Paulo, pois achava a cidade feia, mas após 20 anos, acaba se tornando uma corretora que compra imóveis antigos para grandes construtoras construírem prédios, no modo de ver dela ela encara esse trabalho como encerrar uma história e começar outra. Nesse meio tem várias “mini-histórias” paralelas (Cinema, Vestibular, Sapataria, Casa Antiga, Restaurante) que nos fazem refletir sobre como nossa vida está mudando constantemente. Nesse entorno de histórias alheias os dois começam a ver as coisas com outros olhos e isso que é gostoso de assistir em um filme afinal, “Mas quantas histórias cabem numa mesma história? ”

Não vou falar mais muitos detalhes, pois se não acabo contando spoilers mas adianto, o filme é engraçado, é poético e para mim foi uma obra de arte à título de criatividade, Nota 10. Recomendo que assistam que não vão se arrepender.

Trailer:

Depois me contem o que acharam.

Beijos e até a próxima.

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+1Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *